fosmargomes@hotmail.com

1- Poema


O tempo passa muito ligeiro
Percebi que ele passou
Acordei e não vi mais o ontem
Como o ontem ficou tão distante
Agora só restam as lembranças
De um passado passageiro
De uma paisagem exuberante
Que nunca quero esquecer

O tempo não voa
Ele passa ainda que ligeiro
Ele representa uma época
Um fato, um momento
O tempo de cada um
De cada coisa
De cada geração
Ele repercute

O tempo repercute o passado
O presente que vivemos
O futuro que desejamos
O passado de uma época
O presente que experimentamos
O futuro de uma geração que surge
O tempo não voa , ele passa ligeiro

O tempo marca uma época
É passageiro como a primavera
Que surge depois do inverno
E antes da chegada do verão
Surge trazendo flores
Lindas e perfumadas
Que permeiam o nosso corpo
E exalam a nossa alma
O tempo é das flores
Das flores da primavera
O tempo não voa, passa ligeiro
Viva o tempo das flores
Viva o tempo da primavera


Trabalho de coração
Vem o outubro rosa
Para chamar sua atenção
Atenção das nossas mulheres
Para a sua prevenção

Esse passo é importante
O cancer é uma doença
As células anormais se dividem
Destroem o tecido do corpo
Alimentando a descrença

Observa-se no Brasil
O câncer de mama
É o segundo entre as mulheres
Depois do câncer de pele
Como uma verdadeira trama

Manter hábitos saudáveis
Caminha na direção
Para evitar essa peste
Que não se condói de ninguém
O melhor é a prevenção

Apalpar as suas mamas
Para identificar
Procurar o seu médico
Para ouvir os conselhos
E não deixar disseminar

Esse é o melhor meio
Para você se cuidar
Levantando a autoestima
Sem qualquer dificuldade
Que você vai se curar


Sou chamado a participar
A dar a minha contribuição
Para Proteger a sociedade
De todo esse turbilhão

Não se julga com emoção
Julgar não requer favor
É ato de consciência
Ato de muito valor

Julgar o seu semelhante
É garantia da constituição
Que lhe atribuiu competência
Para julgar com a razão

Se absolvo ou condeno
Resulta do meu entendimento
Depois de ouvir os envolvidos
Faço o julgamento

Na hora de decidir
Não devo satisfação
Eu é quem sou o juiz
O senhor de minha razão


Se não existisse o sol
Se não existisse o mar
Se não existisse a lua
Como seria
Sem a lua
Sem a terra
Sem o mar

O sol aquece a terra
A lua impede a escuridão
O mar dar vida à natureza
Quem canta seus males espanta
Seu Chagas canta toadas
O bumba boi anima a todos nós
Batalhao pesado é da Maioba

Canta seu Chagas
As toadas da Maioba
Mande esquentar os pandeiros
Preparar as matracas
Cuidado com o coração
É hora de guarnicê
Guarnicê meu batalhão

2- VOU PEGAR MINHA CANOA
Uma vara pra empurrar
Também vou levar um remo
Na água limpa pra remar
Cantas como um pássaro
Antes de mergulhar

VOU DESCER O PINDARÉ
Suas águas vão me levar
Na lentidão do vento
Onde eu quero chegar
Cantas como uma siricora
Para o caçador não pegar

EM CAJARI
Vou passear
Nas águas do maracu
Lá eu quero namorar
Vou comer traira seca
Tirar gosto com aracu

EU VI ANA NA JANELA
Por ela me encantei
Na beira do lago eu estava
Logo me apaixonei
Amanhã eu vou a Matinha
Por lá eu vou passar

EM PENALVA VOU CANTAR
Com muita animação
Bumba boi e carnaval
Que formam a tradição
Como um pássaro da baixada
Cantas pra nós ouvirmos
Canta meu amigo BECÃO