E- mail
fosmargomes@hotmail.com

NUNCA HAVERÁ PONTO FINAL

A vida é cheia de surpresas. Posso compará-la a um grande palco perante o qual sentamos e aguardamos por um espetáculo, cujo roteiro nos traz uma única certeza e imprevisíveis acontecimentos. A peça é iniciada, momentos cômicos, trágicos, tensão, emoção, alegrias e tristezas. De repente, a surpresa! Aquele ponto culminante pelo qual ninguém espera, mas sabe que ocorrerá…

Não posso me furtar à grande surpresa da semana, não só para mim, mas para milhares de pessoas, como foi possível constatar. Sobre um leito de UTI, um último suspiro indicava que aquele seria o Ponto Final da luta entre um dos maiores comunicadores do Maranhão e as consequências da covid-19…

Internado por outro motivo, foi acometido pela doença, com fortes sintomas, veio posteriormente a confirmação. Lutou bravamente, venceu uma batalha. Mas o vírus trouxe sequelas, que se agravaram a ponto de estender o período de internação. Era por volta das 19h da última terça-feira, no telejornal a notícia que ninguém queria receber…

Roberto Fernandes nasceu em Pernambuco, mas, para nossa sorte, radicou-se em São Luís. Aqui se formou em Comunicação e Direito, constituiu uma bela família, fez amigos e ganhou milhares de simpatizantes, tornando-se ícone do Jornalismo no rádio e na televisão…

Trabalhou nas emissoras São Luís, EBC, Educadora e Mirante, esta última por pouco mais de 20 anos. Em sua profissão, transitou com propriedade nas searas política, cotidiano e esportiva. Nesta última, teve participação como comentarista em transmissões de jogos de futebol da Série B do Campeonato Brasileiro…

Por falar em futebol, era apaixonado pelo Moto Club de São Luís, clube que presidiu, e nunca perdia uma boa pelada entre os amigos e amava as competições amadoras, especialmente na AABB. Destacava-se dentro das quatro linhas não somente pela sua qualidade técnica, mas também pelo sempre polido e cordial tratamento dado aos colegas de time e adversários…

Retidão e respeito que, aliás, fazia parte de sua conduta de vida, fosse no âmbito familiar, fosse no profissional. Colocava paixão em tudo que fazia. Exemplo de pai e avô, uma verdadeira referência na seara jornalística, conquistando respeito de colegas de profissão, desde os mais jovens até os mais experientes. Praticamente unanimidade na opinião de todos aqueles à sua volta…

Parecia deixar de lado o sentimento no ofício de informar, afirmando sempre que deveria se pautar pela verdade dos fatos daquilo que era notícia, informação. Talvez sem saber estava ali, presente de forma pujante, toda sua emoção, a sua verdadeira paixão por fazer o bom e correto jornalismo. Pude comprovar isso nas oportunidades que tive de ser entrevistado por ele…

Discreto, ético, franco, íntegro, profissional. Daqueles profissionais que soube colocar todos os ingredientes do bom jornalismo, levando a notícia como ela é. Qualidades que o credenciam a ficar como um legado para colegas de profissão e estudantes de comunicação, notadamente aqueles da habilitação de Rádio e TV…

Não perde apenas o Grupo Mirante ou o Jornalismo nacional, mas a família e toda a sociedade, que ficará órfão da sinceridade de suas opiniões e comentários de todas as manhãs…

Já vi homenagens sendo feitas a outros profissionais. Justas, diga-se de passagem. Sem desmerecer quaisquer deles, Roberto Fernandes é daqueles que não merece apenas uma placa em uma sala ou auditório, mas sim no ponto alto da fachada de um prédio…

Comecei falando sobre um grande palco e assim encerro. Para Roberto Fernandes a vida era isso. Um grande palco sobre o qual se vive uma grande trama, com todas as emoções possíveis. Nesse jogo da vida, ele certamente vestia a braçadeira de capitão, diretor e roteirista no cumprimento de uma missão honrada sempre com a cabeça erguida…

Ah, também falei de certeza. Ouso trazer mais uma antes de encerrar. A certeza de que sua história, seu legado, não terá Ponto Final. Seus ensinamentos serão seguidos por aqueles que, em tudo na vida, se dedicam com esmero e são conhecedores da sua verdadeira vocação neste plano concreto. Obrigado, Roberto Fernandes!

 

Osmar Gomes dos Santos, Juiz de Direito da Comarca da Iha de São Luís. Membro das Academias Ludovicense de Letras; Maranhense de Letras Jurídicas e Matinhense de Ciências, Artes e Letras


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *